sábado, 31 de março de 2012

Diác. Hipolito realiza encontro com a Pastoral da Juventude!!!

Na manhã deste sábado a Paróquia de São Miguel Diocese de Mossoró/RN esteve reunido com a Pastoral da Juventude. Nesta paróquia encontra-se fazendo o seu estágio Diaconal o Diác. Hipolito que junto com os coordenadores dos Grupos fizeram um levantamento da caminhada da Juventude na paróquia e buscaram preparar os jovens para participarem da Jornada Mundial da Juventude (JMJ)que realizar-se-à no Rio de Janeiro em 2013.
Na ocasião estiveram presente vinte e três jovens, dentre eles coordenadores e auxiliares dos Grupos. Nosso desejo é enviar para a JMJ um representante de cada Capela. Acompanhe este momento:

Diác. Hipolito com a coordenação da Juventude Paroquial

Coordenadores dos Grupos



ABENÇOADA SEMANA SANTA


VIVER A SEMANA SANTA

Centenas de fiéis devem comparecer à procissão de Domingo de Ramos, que acontecerá amanha dia 01 de abril, em várias paróquias que celebrarão o dia com missa, benção de ramos e procissão. O ato dá início à Semana Santa, período litúrgico mais importante do calendário cristão, e lembra a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, aclamado pelos judeus.

Durante a Semana Santa, cada dia possui um significado especial porque representa as etapas finais da vida de Jesus Cristo até a ressurreição. E nós que fazemos o blog ajudaremos a você há vivenciar estes dias, com meditações e reflexões sobre o sentido de cada dia.


A todos uma Feliz e abençoada Semana Santa!
Diácono Luiz Carlos

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Jo 11, 45-56

Jesus, caminho, verdade e vida, é condenado à morte antes do seu próprio julgamento. Os sumos sacerdotes e os fariseus não conheceram Jesus, não souberam perceber o tempo em que foram visitados e não descobriram o sentido mais profundo da sua presença na história da humanidade. Quem conhece Jesus, o Deus da Vida, constrói a vida, mas quem não o conhece, mata! Evangelizar significa também apresentar Jesus como o Deus da Vida presente no meio de nós, a fim de que, ao reconhecer essa presença, as pessoas entendam que ser cristão significa ser compromissado com a vida e ser capaz de transformar essa sociedade de morte.

sexta-feira, 30 de março de 2012

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Jo 10, 31-42

Quando a gente não está com o coração aberto, não está disposto a acolher a palavra de Jesus, não querendo de fato assumir um compromisso de fé com Deus e com os irmãos, não buscando novos valores e não querendo uma constante mudança de vida para cada vez mais procurar uma união mais íntima e profunda com Deus, qualquer coisa torna-se motivo para a crítica e para a rejeição de Jesus. Assim aconteceu com os judeus, que não quiseram abandonar antigos valores para viver valores novos e mais plenos, sempre procuraram motivos para dizer que eles estavam certos e Jesus estava errado.

quinta-feira, 29 de março de 2012

“Alegrai-vos sempre no Senhor!”!

Para o domingo de Ramos dedicado também a juventude o Papa Bento XVI escreve sua mensagem, lembrando a JMJ de Madrid. "Foi um tempo extraordinário de graça, durante o qual o Senhor abençoou os jovens presentes ali, vindos do mundo inteiro", disse.
Comentando o lema deste dia, o papa disse que "a alegria é um elemento central da experiência cristã”. “Vemos a força de atração que ela tem: num mundo marcado muitas vezes pela tristeza e pela ansiedade, a alegria é um testemunho importante da beleza e confiabilidade da fé cristã."
A mensagem do papa se divide em vários pontos: Nosso coração está feito para a alegria; Deus é a fonte da verdadeira alegria; conservar no coração a alegria cristã; a alegria do amor; a alegria da conversão; a alegria nas provas; Testemunhas da alegria.
O Papa encoraja os jovens “a serem missionários da alegria". “Não é possível ser feliz se os outros não o são – acrescenta -. Por isso, é necessário compartilhar a alegria. Ide contar aos outros jovens vossa alegria de ter encontrado aquele tesouro precioso que é o mesmo Jesus. Não podemos conservar para nós a alegria da fé; para que esta possa permanecer em nós, temos que transmití-la. São João afirma: ‘o que vimos e ouvimos vo-lo anunciamos para que estejais também em comunhão conosco... E isto vos escrevemos para que a nossa alegria seja completa’ (1 Jo 1, 3-4).”
E conclui: "Que a Virgem Maria vos acompanhe neste caminho. Ela acolheu o Senhor dentro de si e o anunciou com um canto de louvor e alegria, o Magnificat:" A minha alma engrandece ao Senhor, meu espírito se alegra em Deus meu Salvador "(Lc 1,46-47). Maria respondeu plenamente ao amor de Deus dedicando a Ele a sua vida num serviço humilde e total. Justamente é chamada ‘causa da nossa alegria’ porque nos deu a Jesus. Que Ela vos introduza naquela alegria que ninguém vos poderá tirar”.
Fonte: Zenit

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Jo 8, 51-59

O nosso Deus é o Deus da vida e da vida em abundância. Ele é causa de alegria para todos os que verdadeiramente crêem nele e em Jesus ele manifesta todo o amor que tem por nós. Assim sendo, Jesus, que é o Filho do Deus vivo, veio nos ensinar o caminho da verdadeira vida, por isso nos diz que quem guarda a sua palavra jamais verá a morte. E como todos nós desejamos a vida e nos alegramos com ela, Jesus também é a causa de nossa alegria, assim como foi a causa para Abraão exultar de alegria ao ver o seu dia, ao reconhecer o seu Deus como o Deus da vida. Aos que não acreditam nas verdades do Reino de Deus e rejeitam os valores evangélicos, só resta a revolta, a tristeza e a morte.

quarta-feira, 28 de março de 2012

CONTO DA VIDA


A MAS BELA FLOR

O bosque estava quase deserto, quando o homem sentou-se para ler, embaixo dos longos ramos de um velho carvalho. Estava desiludido da vida, com boas razões para chorar, pois o mundo estava tentando afundá-lo. E como se já não tivesse razões suficientes para arruinar o seu dia, um garoto chegou, ofegante, cansado de brincar.

Parou na sua frente, de cabeça baixa e disse, cheio de alegria: "Veja o que encontrei!" O homem olhou desanimado e percebeu que na sua mão havia uma flor. "Que visão lamentável!" Pensou consigo mesmo. A flor tinha as pétalas caídas, folhas murchas, e certamente nenhum perfume. Querendo ver-se livre do garoto e de sua flor, o homem desiludido fingiu pálido sorriso e se virou para o outro lado.

Mas ao invés de recuar, o garoto sentou-se ao seu lado, levou a flor ao nariz e declarou com estranha surpresa: "O cheiro é ótimo, e é bonita também... Por isso a peguei. Toma! É sua." A flor estava morta ou morrendo, nada de cores vibrantes como laranja, amarelo ou vermelho, mas ele sabia que tinha que pegá-la, ou o menino jamais sairia dali.

Então estendeu a mão para pegá-la e disse, um tanto contrafeito: "Era o que eu precisava." Mas, ao invés de colocá-la na mão do homem, ele a segurou no ar, sem qualquer razão. E, naquela hora, o homem notou, pela primeira vez, que o garoto era cego e que não podia ver o que tinha nas mãos. A voz lhe sumiu na garganta por alguns instantes... Lágrimas quentes rolaram do seu rosto enquanto ele agradecia, emocionado, por receber a melhor flor daquele jardim. O garoto saiu saltitando, feliz, cheirando outra flor que tinha na mão, e sumiu no amplo jardim, em meio ao arvoredo.

Certamente iria consolar outros corações que, embora tenham a visão física, estão cegos para os verdadeiros valores da vida. Agora o homem já não se sentia mais desanimado e os pensamentos lhe passavam na mente com serenidade. Perguntava a si mesmo como é que aquele garoto cego poderia ter percebido sua tristeza a ponto de aproximar-se com uma flor para lhe oferecer.

Concluiu que talvez a sua auto-piedade o tivesse impedido de ver a natureza que cantava ao seu redor, dando notícias de esperança e paz, alegria e perfume... E como Deus é misericordioso, permitiu que um garoto, privado da visão física, o despertasse daquele estado depressivo. E o homem, finalmente, conseguira ver, através dos olhos de uma criança cega, que o problema não era o mundo, mas ele mesmo. E ainda mergulhado em profundas reflexões, levou aquela feia flor ao nariz e sentiu a fragrância de uma rosa...

LIÇÃO DE VIDA

Verdadeiramente cego é todo aquele que não quer ver a realidade que o cerca.

Autor desconhecido

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Jo 8, 31-42

Em que consiste a liberdade? A resposta a esta pergunta sempre nos parece clara, mas só à primeira vista. O Evangelho de hoje nos mostra que os judeus pensaram que eram livres e, no entanto, não eram, porque existem muitas formas sutis de escravidão, sendo que as piores são as nossas tendências ao mal, as nossas imaturidades e as nossas fraquezas, e são piores porque brotam no nosso interior, nos enganando, porque pensamos que estamos fazendo a nossa vontade quando na verdade estamos cedendo aos nossos desejos, que não nos deixam ser livres. Somente permanecendo unidos a Cristo é que podemos vencer a nossa natureza e sermos verdadeiramente livres.

terça-feira, 27 de março de 2012

NOVO VIGÁRIO GERAL DA ARQUIDIOCESE DE NATAL É NOMEADO

Na tarde de hoje, o Arcebispo metropolitano da Arquidiocese de Natal, Dom Jaime vieira Rocha, nomeou o novo vigário geral da Arquidiocese. Trata-se do Pe Edilson Soares Nobre, nascido aos 09 de maio de 1965, Ordenado Sacerdote a 06 de abril de 1991. Tendo tomado posse como Administrador Paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Conceição em Nova Cruz a 06 de janeiro de 2008. No dia 06 de abril de 2011, foi nomeado Pároco, pelo Arcebispo dom Matias Patricio, na Missa de 20 anos de sua ordenação sacerdotal. Atual acessor eclesiástico da PASCOM e até pouco tempo foi o Vigário Episcopal para o Clero. Nós do Grupo de Vida João Paulo II, nos alegramos intensamente e rezamos para que essa nova missão assumida pelo padre Edilson possa ser frutuosa e sirva para a edificação do Reino de Deus! A Virgem da Apresentação o conduza sempre!

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Jo 8, 21-30

Os judeus compreendem que a morte de Jesus pode estar próxima, uma vez que Jesus fala de sua partida para onde eles não poderão ir, mas levantam a hipótese de suicídio por parte de Jesus, deixando de perceber que a causa da morte de Jesus é a própria incredulidade deles, da recusa diante da revelação sobre quem de fato é Jesus, da não aceitação do fato que Jesus é o Filho de Deus, o enviado do Pai para fazer a vontade dele e viver em plena comunhão com ele. Alguns judeus creram e a semente do Reino foi lançada, mas muitos não creram, o que resultou na morte de Jesus.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Felicidades aos Diáconos: Hipolito, Luiz Carlos, Cláudio, Jerônimo, Rodrigo e Júnior!!!

“A humildade foi assumida pela majestade, a fraqueza, pela força, a mortalidade, pela eternidade. Para saldar a dívida de nossa condição humana, a natureza impassível uniu-se à natureza passível. Deste modo, como convinha à nossa recuperação, o único mediador entre Deus e os homens, o homem Jesus Cristo, podia submeter-se à morte através de sua natureza humana e permanecer imune em sua natureza divina” (São Leão Magno, Papa).
Neste dia em que celebramos a Anunciação do Senhor, redemos graças a Deus pela Ordenação Diaconal de: Hipolito, Luiz Carlos, Cláudio, Jerônimo, Rodrigo e Júnior.
Ut omnes unum sint!!!!!

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Lc 1, 26-38

Maria recebe do anjo a noticia de que seria a mãe do Messias. Como poderia acontecer isso se ela não conhece homem? Fazendo uma relação com o Evangelho de ontem, percebemos que mulheres estéreis geraram filhos por obra divina, e filhos que atuaram decisivamente na história da salvação. Maria não podia ter filhos, mas isso era fruto de sua vontade, de sua consagração virginal. E nesta "esterilidade", Deus age. E sem a atuação de um homem, mas do próprio Espírito Santo, Maria gera no seu ventre virginal aquele que é o Senhor da história e que vai mudar radicalmente a vida das pessoas.

sábado, 24 de março de 2012

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Jo 7, 40-53

Muitas pessoas conhecem diversas coisas sobre Jesus, mas não conhecem verdadeiramente a Jesus, porque fundamentaram o seu conhecimento numa leitura racional e científica da Palavra e da História, mas nunca tiveram um encontro pessoal com Jesus, nunca entraram na sua intimidade através da oração, nunca procuraram contemplá-lo, nunca quiseram desenvolver uma espiritualidade. Essas pessoas sempre fizeram de Jesus um objeto de conhecimento e não uma pessoa de relacionamento. Nunca viram verdadeiramente Jesus, de modo que não podem compreendê-lo, segui-lo, amá-lo e viver de acordo com os valores que ele propôs.

sexta-feira, 23 de março de 2012

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Jo 7, 1-2.10.25-30

A descrença pode ter conseqüências terríveis como nos revela o Evangelho de hoje. As pessoas que acreditaram em Jesus procuraram seguir seus ensinamentos e viver uma nova forma de relacionamento com Deus, de modo que a sua fé gerava a vida em abundância. Os que não aceitavam as palavras de Jesus não só se privavam desta vida como também procuravam tirar a vida de Jesus. Mas o nosso Deus é o Deus da vida. A descrença luta contra a vida e pode até mesmo tirar a vida das pessoas, mas tira apenas a vida biológica, e o sangue que é derramado fertiliza a terra para que nela brote as sementes de vida eterna. O sangue de Jesus foi derramado, assim como o de muitos mártires, e isso faz com que as sementes do Reino cresçam e dêem fruto.

quinta-feira, 22 de março de 2012

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Jo 5, 31-47

Ninguém aceita gratuitamente algo como sendo verdadeiro. Só acreditamos que algo é verdadeiro quando temos um fundamento para isso. Assim as pessoas agem em relação a Jesus, exigem uma garantia de verdade a respeito de tudo o que ele fala para que creiam nela. Isso acontece em primeiro lugar porque não acreditam no amor e na ação do próprio Deus na vida das pessoas. Também acontece porque não são capazes de encontrar nas Sagradas Escrituras o testemunho de Jesus e de suas obras. Somente quem se abre a Deus e à sua revelação reconhece a verdade em Jesus.

quarta-feira, 21 de março de 2012

PAPA BENTO XVI NOMEIA BISPOS

O Santo Padre, o papa Bento XVI nomeou hoje, dia 21, para bispo da prelazia de São Felix do Araguaia (MT), dom Adriano Ciocca Vasino, transferindo-o da sede episcopal de Floresta (PE). Nomeou ainda bispo auxiliar da arquidiocese de Fortaleza (CE), o padre José Luiz Gomes de Vasconcelos e o padre Giovanni Crippa, como bispo auxiliar de Salvador (BA).

Dom Adriano Ciocca é bispo de Floresta desde o dia 2 de maio de 1999. Ele é italiano de Borgosesia, Vercelli. Foi nomeado bispo em 3 de março de 1999, pelo papa João Paulo II. Sua ordenação aconteceu em sua terra natal, em 2 de maio de 1999. Até a 49ª Assembleia Geral dos Bispos da CNBB, em 2011, era membro da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato, como bispo responsável pelas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) no Brasil.

São Felix do Araguaia

A prelazia de São Felix estava vacante desde o dia 21 de setembro de 2011, quando o papa Bento XVI transferiu o bispo prelado, dom Leonardo Ulrich Steiner, para auxiliar a arquidiocese de Brasília (DF). O bispo de Goiás, dom Eugênio Rixen esteve à frente da prelazia como administrador apostólico enquanto o Sumo Pontífice definia quem seria o sucessor de dom Leonardo.

São Felix do Araguaia é famosa, entre outros motivos, por ter tido dom Pedro Casaldáliga como seu primeiro bispo. Dom Pedro, espanhol de nascimento, é conhecido no Brasil e no mundo, por seu trabalho em defesa da vida, da natureza e dos direitos dos menos favorecidos. Foi perseguido durante a ditadura militar que, por cinco vezes, foi alvo de processos de expulsão do Brasil. Sofreu diversos atentados a sua vida, mas prosseguiu lutando, até que, em 2005, com a saúde debilitada, apresentou sua renúncia ao então papa João Paulo II. Dom Pedro é autor de vários livros, como “Creio na Justiça e na Esperança”; “Sonetos neobíblicos, precisamente”; “Espiritualidade da libertação”; “Murais da libertação”; “Ameríndia, morte e vida” e “Orações da caminhada”.

Fortaleza

dom_Jos_Luiz_Gomes_de_VasconcelosA nomeação do monsenhor José Luiz Gomes de Vasconcelos, segundo a Nunciatura Apostólica, acolheu a solicitação do arcebispo de Fortaleza, dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, de contar com a colaboração de mais um bispo auxiliar.

Monsenhor José Luiz é atualmente reitor do Seminário Maior de Caruaru, em Pernambuco. Nasceu em Garanhuns (PE), em maio de 1963. Estudou Filosofia e Teologia na Faculdade Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo (SP). Como aluno do Pontifício Colégio Pio Brasileiro, em Roma, obteve diploma de mestrado em Teologia Patrística e História da Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

Desde o ano passado, monsenhor José Luiz é presidente do Regional Nordeste 2 da Organização dos Seminários e Institutos Filosófico-Teológicos do Brasil (OSIB).

Salvador

domgiovannicrippaTambém atendendo ao pedido do arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, o papa nomeou monsenhor Giovanni Crippa, atualmente pároco da Paróquia Santíssima Trindade, em Feira de Santana (BA), como bispo auxiliar de Salvador.

Monsenhor Crippa é italiano de nascimento (Besana im Brianza – Milão), e é padre desde 1985. É bacharel em Teologia, pela Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, e é mestre e doutor em História da Igreja, também pela Universidade Gregoriana.

Na Itália, monsenhor Giovanni Crippa foi animador missionário e vocacional, em Turim, e membro da Equipe de Coordenação do Departamento Histórico do Instituto Missões Consolata.

No Brasil, foi vigário paroquial da paróquia Santíssima Trindade; Diretor Espiritual do Seminário Santana Mestra e professor na Faculdade Católica, tudo isso em Feira de Santana. Além disso, foi por duas vezes conselheiro da Província dos Missionários da Consolata no Brasil e membro do Conselho Presbiteral da arquidiocese de Feira de Santana.

Fonte: CNBB

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Jo 5, 17-30

Jesus começa aos poucos a manifestar a sua origem e a sua natureza divina. Ele de fato é o Filho de Deus, que veio ao mundo para fazer a vontade do Pai e realizar a sua obra, que é a salvação de todas as pessoas, salvação que significa ressurreição e vida eterna, libertação do jugo do pecado e da morte. Mas esta obra é somente para quem crê que Jesus é o Filho de Deus, é para quem crê que ele veio ao mundo para fazer a vontade do Pai e vê na sua ação a ação divina em favor dos homens, de modo que a fé é essencial para a nossa salvação, para a nossa ressurreição e para que vivamos eternamente.

terça-feira, 20 de março de 2012

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Jo 5, 1-16

Muitas vezes, as pessoas que sofrem diferentes formas de males possuem uma fé muito grande no poder de Deus, mas de algumas formas são impedidas de chegar até ele e receber as suas graças, condição indispensável para a superação de seus males e sofrimentos. É o caso do paralítico, que acreditava no poder de Deus e na cura que viria pela ação do anjo ao agitar a água, mas era impedido pelos outros que entravam primeiro na piscina. Assim também acontece hoje quando criamos uma série de regras e preceitos humanos que dificultam a participação de muitos na vida divina e um relacionamento pessoal com ele, que é a fonte de todas as graças que nos dão vida em abundância.

segunda-feira, 19 de março de 2012

SINAL DE SÃO JOSÉ

Embora o dia de hoje, 19 de março Solenidade de São José, esteja chegando ao seu declínio, não poderia deixar de rememorar data tão singular para minha longa caminhada em busca de fazer a vontade de Deus concretizar-se mais plenamente em minha vida. Era uma manhã de sábado do ano de 2005, dia chuvoso, tudo seria normal se não fosse o fato que a noite antecedente não fosse perpassado em fluidos de ansiedade, “medo e expectativa. È que neste dia se iniciaria em minha vida um passo, ou uma decisão, que mudaria toda minha vida a partir de então; tratava-se do meu primeiro encontro vocacional no Seminário de São Pedro.
Faço a minha reminiscência neste dia e vem à minha memória, a insegurança que sentia em deslocar-me de São Gonçalo do Amarante em destino a Emaús, local que nunca tinha sequer estado. No dia antecedente procurei várias pessoas que pudessem dar-me qualquer direcionamento de como chegar no mencionado bairro. Sem acesso seguro a muita informação, aventurei-me ir rumo ao meu destino confiando na sorte, para não dizer providência.
Depois de pegar dois ônibus lotados por aqueles que se sacrificam diariamente para poderem sobressair na vida e após buscar livra-me da chuva torrencial que por ora caíra, consegui chegar ao meu destino: EMAÚS. Minha preocupação tinha chegado ao fim, se não fosse o fato de ir bater na porta errada! Explico: em frente do seminário, que é bem discreto, há um instituto feminino religioso e sua aparência é bem mais vistosa, por isso me dirigi para esse instituto sendo enganado, portanto, pela aparência. Graças a Deus a freira que me recebeu era bastante gentil e me direcionou para o local correto a saber, não era tão distante.
Chegando ao seminário, percebi que não estava só, pois vários jovens estavam com uma timidez visível e com uma esperança plausível, próprio daqueles que sonham alcançar uma meta. Percebia que iniciava para mim uma longa caminhada, que não sabia ao certo de como seria, mas estava disposto à seguir em frente, não obstante as minhas muitas fraquezas e limitações.
No desenvolver daquele encontro vocacional vivemos vários momentos de partilhas, exposições, diálogos e etc, mas permitam-me acentuar algo engraçado que aconteceu: diante da chuva, que era torrencial, uma calha da capela quebrou-se e inundou todo o local que estávamos, foi um “desespero” para equipe da Pastoral Vocacional, inclusive para o reitor de então o padre Valquimar!
Deixando de lado todos esses detalhes “efêmeros” gostaria de evidenciar o marco deste encontro: o verdadeiro motivo de deter-me à essas linhas. É o fato de que o este primeiro encontro vocacional foi exatamente no dia do Glorioso São José. Naquele dia eu consagrei a minha vocação de uma forma mais direta a esse homem que soube fazer tão bem a vontade de Deus. A minha motivação impulsiva foi apenas o cântico pós-comunhão,(Simplesmente José/ Eugênio Jorge) que muito me chamou atenção e me ajudou à meditar na figura deste homem tão ilustre. A partir de então foi evidenciado na minha vida o exemplo do esposo da Virgem Maria e o consagrei de forma mais intensiva a minha vida vocacional.

GLORIOSO SÃO JOSÉ ROGAI POR NÓS!


Erivan Junior

O GLORIOSO SÃO JOSÉ

Não obstante o recolhimento e a natural introspecção próprios do tempo quaresmal, a Santa Igreja abre um sublimíssimo parêntese em tempo tão austero para celebrar a santidade de José, a quem Deus concedeu a guarda dos seus mais preciosos tesouros: o Verbo encarnado e Maria Santíssima, sua Mãe.
Apesar das lacônicas menções bíblicas sobre tão excelsa figura, os Santos Padres enxergaram em José do Egito, cuja história pode ser conhecida no livro do Gênesis, entre os capítulos 37 a 48, uma prefiguração daquele que legou a Jesus a descendência davídica; e dos evangelhos canônicos mostrarem dele uma personalidade profunda e totalmente silenciosa, pois entra e sai da Escritura sem pronunciar uma palavra, ninguém jamais poderá negar a eloqüência admirável do seu testemunho e a largueza de sua justiça, virtude mor de sua pessoa, visto que justiça na Escritura identifica-se com santidade. Naturalmente, deveria brilhar sobremaneira em tal virtude aquele que, por eleição divina, tornar-se-ia na terra, o “pai do filho de Deus”.
Considerando a beleza desta vocação paternal de São José, para muito além de ser o pai terreno de Jesus está o fato admirável de São José ter sido com a Virgem Maria a primeira testemunha de todas as profecias e anseios messiânicos do Antigo Testamento. Disse no século XII o grande São Bernardo de Claraval: “José pôde ver com seus próprios olhos, segurar em seus braços e cobrir de beijos aquele que tantos reis e profetas desejaram ver e não viram jamais”. Estas palavras mostram como desde muito cedo, grandes homens como Bernardo e também mulheres como Santa Teresa d’Ávila, que viveu no século VXI e foi a grande difusora do culto josefino pela Europa, percebiam que a pessoa de São José teve presença indispensável na realização dos planos de Deus para a redenção do homem.
Igualmente, grandes teólogos e papas escreveram sobre o eminente patriarca e lhe enriqueceram com altos privilégios, como o Papa IX, que em 8 de dezembro de 1870, o declarou Patrono universal da Igreja. Seria impossível, portanto, elencar aqui o número admirável de personalidades histórico-teológicas que se ocuparam da figura cativante do esposo da Virgem, o número de igrejas, dioceses, paróquias, congregações religiosas, cidades e ainda o número admirável de pessoas que possuem, por nome batismal, o belo e forte José.
Na piedade e devoção do nosso querido povo, não haveria de ser diferente, o Carpinteiro de Nazaré, ao lado de Nossa Senhora é figura de primeira grandeza. Que o digam as procissões que em 19 próximo realizam-se por toda parte.
Tal manifestação está carregada de sentido teológico e espiritual, pois Igreja nesta terra é um povo imenso que avança em procissão à Cidade de Deus, a Jerusalém Celestial (Ap 7,1-12). Assim pois, as procissões têm um profundo significado de antecipar simbolicamente o mistério último da Igreja que é a peregrinação até o céu; peregrinação esta, que os santos, como José, já completaram e nos estimulam ao não desfalecimento em tão árduo caminho, como o foi outrora o caminho do povo de Deus nas Sagradas Escrituras onde encontramos momentos singulares nos quais se deram famosos cortejos. A marcha do êxodo foi a procissão por excelência. Lemos nos primeiros capítulos do livro dos Números como o próprio Deus ordenou o modo como se devia realizar tais séquitos. Merece lembrança especial a fuga da Sagrada Família para o Egito, em que o próprio São José empreendeu a procissão da obediência e da fidelidade aos planos de Deus (cf Mt 2, 13-23).
Diante de tanto valor simbólico e espiritual, devemos renovar os ânimos para bem viver as festas que se aproximar e fazer valer ainda mais a nossa devoção a São José pela imitação de suas virtudes. Este será o fruto mais excelente da mais verdadeira devoção.
Por fim, aproveitemos o tempo para fazer com que as festas vindouras sejam um profundo ato de agradecimento ao Senhor pela fé tão preciosa que nós herdamos e que sabe reconhecer o valor dos homens e mulheres escolhidos por Deus para realizarem em suas vidas a sua santíssima vontade. Estes jamais serão esquecidos como atesta a força sempre nova da Palavra do Senhor: “O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” (1Jo 2, 17).

Glorioso São José, rogai por nós.


Pe Jailton - Diretor Espiritual do Seminario de São Pedro



A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Mt 1, 16.18-21.24

São José deve servir de modelo para todos nós. O Evangelho de hoje nos mostra muitos pontos da sua pessoa que devem inspirar-nos na vivência da fé e do compromisso com Deus e com a obra da Igreja. José pertence à descendência de Davi, faz parte dos planos de Deus para a salvação do mundo, como nós também fazemos parte dos planos de Deus para a nossa salvação e das demais pessoas. José é definido como justo, que na tradição bíblica corresponde à santidade, e nós devemos aspirar à santidade. Na dúvida, José não fica preso nos seus planos, mas descobre e realiza a vontade de Deus. Da mesma forma, nós devemos muitas vezes fazer um ato de humildade e procurar realizar a vontade de Deus, e não a nossa.

domingo, 18 de março de 2012

Estágio Diaconal!!!

Meus queridos irmãos do Grupo de Vida João Paulo II e amigos internautas Paz e Luz para todos!!!
Quero mais uma vez partilhar as alegrias do meu estágio diaconal na cidade de São Miguel do Alto Oeste. Aqui irei apresentar um pouco da Festa de São José na cidade de coronel João Pessoa/RN. Na noite do sábado dia 17/03 a novena foi dedicada a pastoral da juventude e Deus me concedeu a graça de presidir e pregar para todos os presentes. Confira: 
Ut omens unm sint!!!
Fernando e Diác. Hipolito






A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão: Jo 3, 14-21

Tenho diante de mim a liberdade de escolha. Jesus diz que quem pratica o mal está distante da luz. Escolho durante o meu dia, as trevas ou a luz? Os bispos, em Aparecida, na 5ª Conferência, disseram: "Jesus, o Bom Pastor, quer nos comunicar a sua vida e se colocar a serviço da vida. Vemos como ele se aproxima do cego no caminho (cf. Mc 10,46-52), quando dignifica a samaritana (cf. Jo 4,7-26), quando cura os enfermos (cf. Mt 11,2-6), quando alimenta o povo faminto (cf. Mc 6,30-44), quando liberta os endemoninhados (cf. Mc 5,1-20). Em seu Reino de vida Jesus inclui a todos: come e bebe com os pecadores (cf. Mc 2,16), sem se importar que o tratem como comilão e bêbado (cf. Mt 11,19); toca leprosos (cf. Lc 5,13), deixa que uma prostituta unja seus pés (cf. Lc 7,36-50) e, de noite, recebe Nicodemos para convida-lo a nascer de novo (cf. Jo 3,1-15). Igualmente, convida a seus discípulos à reconciliação (cf. Mt 5,24), ao amor pelos inimigos (cf. Mt 5,44) e a optarem pelos mais pobres (cf. Lc 14,15-24)." (DAp 353)

RESULTADO DE UMA AULA DE ESTÉTICA

As linhas que virão à seguir são resultados de uma aula da professora Ir Aurélia, mestra em filosofia pela UFRN, que instigou os alunos a escreverem algo referente a reclamação da cadeira, que está sempre disposta a "servir" e sempre é "maltratada".

O RECLAMO DA CADEIRA
Ò que sufoco tenho que suportar
Tanta gente a me arrastar
não sabendo onde vou parar
não posso nem gritar.

Não sei se existe algo a se fazer
Alguém tem que me compreender
Caso contrário vai findar a enlouquecer
E ninguém tornará a me ver

Todo mundo um dia já me usou
Em cima de mim muita gente pulou
E pior que isso até me quebrou
E para o conserto quase ninguém me levou

Quanta desventura e ingratidão
Fico a contemplar a devassidão
E sem um pingo de consideração
Sou empurrada para o porão


Muita gente insiste em pichar-me
Mas não tem coragem de pintar-me
E eu fico aqui a lamentar-me
Na espera de alguém à resgatar-me

Talvez já estejas curioso
Quem é esse jovem teimoso
Que com todo esse som ruidoso
Está querendo um dono zeloso

As vezes fico sem eira e beira
Quase perdendo a estribeira
Mas quero respeito de grande maneira
Para quem não me conhece eu sou a CADEIRA


ERIVAN JUNIOR- 3º TEOLOGIA




sábado, 17 de março de 2012

Diácono Hipolito concede Benção a novas instalações!!!

Meus queridos amigos e irmãos do Grupo de Vida João Paulo II, queridos internautas Paz e Bem para todos!
Neste momento quero partilhar com vocês momentos de meu estágio diaconal na cidade de São Miguel do Alto Oeste. Nestes últimos meses a nossa cidade tem vivenciado uma maratona de inauguração de obras realizadas pela atual administração, e na ocasião a assessoria de gabinete da atual gestão tem solicitado a Igreja Católica a fazer-se presente para conceder ao povo de Deus e as novas instalações uma benção.
Acompanhe alguns momento destes eventos.
Diác. Hipolito


Benção de uma nova unidade de da família

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Lc 18, 9-14

Jesus nos mostra no Evangelho de hoje que a salvação não pode ser alcançada por nossas ações, uma vez que a pessoa não pode salvar-se por si mesma, mas por uma ação amorosa e gratuita do próprio Deus. Nós não nos salvamos, aos homens isso é impossível, mas Deus nos salva, pois para ele tudo é possível. Sendo assim, a nossa salvação depende antes de tudo da postura que temos diante de Deus. O fariseu contava os seus méritos diante de Deus, o que não lhe garantiu a salvação, enquanto que, ao demonstrar as suas misérias e os seus pecados diante de Deus, o cobrador de impostos reconhecia que somente Deus poderia salvá-lo e implora por essa salvação e, por isso, ele foi atendido em suas preces.

sexta-feira, 16 de março de 2012

A PALAVRA DE DEUS NA VIDA


Reflexão - Mc 12, 28-34

Muitas pessoas acham que para serem salvas, é suficiente cumprir todas as suas obrigações de ordem religiosa como a participação nas celebrações e atos devocionais. O escriba do Evangelho de hoje afirma que amar a Deus e ao próximo é melhor do que as práticas religiosas, no caso os holocaustos e os sacrifícios, e Jesus confirma isso ao afirmar que ele não está longe do reino de Deus. A nossa vida religiosa só tem sentido enquanto é um reflexo do amor vivido concretamente, ou seja, enquanto é manifestação da nossa solidariedade. Caso contrário, a religião se reduz a práticas mágicas, bruxarias, rituais vazios, que nada acrescentam a ninguém e não nos aproxima de Deus.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Catequese do Santo Padre!

Concluído na semana passada, a série de reflexões sobre a oração de Jesus, o Papa Bento XVI, durante a Audiência Geral desta semana, inaugurou uma série de meditações sobre a oração nos Atos dos Apóstolos e nas Cartas de São Paulo.
Os Atos dos Apóstolos, em particular, foram definidos como"o primeiro livro sobre a história da Igreja", lembrou o Papa. Seja neles que nas epístolas Paulinas, "um dos elementos recorrentes é justo a oração, daquela de Jesus àquela de Maria, dos discípulos, das mulheres e da comunidade cristã”.
Elemento orientador do caminho original da Igreja é o Espírito Santo que, com a sua efusão, levará a Palavra de Deus para o Oriente e para o Ocidente. Espírito Santo, que é o próprio Jesus que anuncia a chegada (Atos 1,8).
Enquanto isso, Maria acompanha os Onze no início da missão da Igreja: o faz com a sua "presença orante", na sequela silenciosa do Filho, “durante a vida pública até os pés da cruz”.
A oração da Virgem marca todas as fases da Igreja primitiva, a partir da Anunciação do Anjo (Lc 1,38) e da visita à sua prima Isabel (Lucas 1,46-55).
Com o cântico do Magnificat a Mãe de Deus "não olha só aquilo que Deus tem feito por ela, mas também o que tem feito e realiza continuamente na história".
A vemos, então, no Cenáculo de Jerusalém, onde, "em um clima de escuta e oração", Maria está presente "antes de que sejam abertas as portas e comecem o anúncio de Cristo Senhor a todos os povos."
A presença providencial de Maria em cada um desses momentos cruciais - cujo ponto culminante é a entrega da Mãe a João por Cristo crucificado - é marcada pela sua "capacidade de manter um clima perseverante de recolhimento, para meditar cada acontecimento no silêncio do seu coração, diante de Deus”, disse o Pontífice.
Depois da Ascensão, Maria continua a acompanhar os Apóstolos que com Ela, compartilham "o que é mais precioso: a memória viva de Jesus, na oração".
O acompanhamento de Maria é também crucial no período de transição que precede Pentecoste. Junto com ela os Apóstolos se reúnem para esperar o dom do Espírito Santo", sem o qual não podem se tornar testemunhas".
Sem Maria não é possível nenhum Pentecoste porque “Ela viveu de uma maneira única o que a Igreja experimenta a cada dia sob a ação do Espírito Santo". Também na Constituição dogmática Lumen gentium (nº 59) destaca a importância do papel da Virgem nesta passagem, que o Concílio Vaticano II procurou enfatizar.
"Venerar a Mãe de Jesus na Igreja significa então aprender dela a ser comunidade que reza", continuou Bento XVI, salientando que Maria nos convida "a abrir as dimensões da oração, a se voltar para Deus não apenas na necessidade e não só para si mesmos, mas de modo unânime, perseverante, fiél, com um “só coração e uma só alma” (cf. At 4,32). "
Maria é "colocada pelo Senhor nos momentos decisivos da história da salvação e sempre foi capaz de responder com total disponibilidade, resultado de uma relação profunda com Deus desenvolvida na oração assídua e intensa", acrescentou.
A sua maternidade está viva "até o fim da história" e é por isso que a ela se confia “todas as fases da passagem da nossa existência pessoal e eclesial, não menos importante aquela da nossa passagem final".
Graças à Maria, com seu exemplo de oração constante e incessante, somos capazes de "sair" da “nossa casa", de nós mesmos, com coragem, para alcançar os confins do mundo e anunciar em todos os lugares o Senhor Jesus, Salvador do mundo" , concluiu depois o Papa.
Fonte: Zenit